Boletim BIREME n° 29

Consórcio de Pesquisadores contribui para qualificar as evidências sobre Saúde Integrativa

No marco da cooperação técnica entre a Organização Pan-Americana da Saúde por meio do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (BIREME/OPAS/OMS) e o Ministério da Saúde por meio da Coordenação Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, algumas ações e projetos estão contribuindo para aumentar a compreensão da população e profissionais da saúde sobre as Práticas Integrativas e Complementares da Saúde (PICS) no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil, fortalecendo as práticas de autocuidado, de promoção da saúde e de prevenção de doenças.

Estas ações também contribuem diretamente com os objetivos do Consórcio Acadêmico Brasileiro de Saúde Integrativa e da BVS Medicinas Tradicionais, Complementares e Integrativas (BVS MTCI Américas).

O Consórcio foi criado pela motivação e necessidade de integração entre os grupos de pesquisa das universidades brasileiras, para o desenvolvimento de um trabalho sinérgico de construção de conhecimento qualificado e evidências científicas sobre as PICS. Tem a missão de contribuir para a validação científica e a sustentabilidade das abordagens integrativas e complementares em saúde por meio da sistematização e produção de estudos e pesquisas, voltados à ampliação da visibilidade do conhecimento científico na área. O Consórcio Brasileiro já tem mais de 500 pesquisadores de 50 universidades registrados, e está vinculado à BVS MTCI e à Rede MTCI Américas integrada por instituições de 15 países, que tem a BIREME como articuladora e facilitadora da Rede, e coordenadora da BVS MTCI Américas.

No momento, a prioridade do Consórcio é o desenvolvimento de Mapas das Evidências sobre as PICS incluídas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares de Saúde (PNPIC) do Brasil, para respaldar com evidências científicas a integração das PICS no SUS, assim como identificar as lacunas de evidências para orientar o estabelecimento de prioridades de pesquisa nesta área.

mtci-fiocruz2Neste sentido, no último dia 19 de fevereiro, o Ministro da Saúde do Brasil, Dr. Luis Henrique Mandetta, concedeu uma audiência à Diretoria do Consórcio, representada por seu Diretor Presidente, Dr. Ricardo Ghelman, e acompanhada da Representante da OPAS/OMS no Brasil, Dra. Socorro Gross; Verônica Abdala, representando a BIREME/OPAS/OMS; Dra Ana Cristina Pinho Mendes Pereira, Diretora do Instituto Nacional de Câncer; e outros parceiros e colaboradores do Consórcio.

O principal desdobramento desta audiência foi a confirmação da necessidade de identificar, qualificar e categorizar as evidências científicas sobre as PICS, priorizando sua aplicação clínica. O Consórcio assumiu o compromisso para implementação do Projeto “Mapa das Evidências em PICS”, com o apoio do Ministério da Saúde, da Representação da OPAS/OMS do Brasil, e a colaboração da BIREME/OPAS/OMS e outros parceiros estratégicos do Consórcio, como o Observatório Nacional de Saberes e Práticas Tradicionais, Integrativas e Complementares em Saúde, coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz Pernambuco.

Além disso, o Consórcio tem parcerias estabelecidas com outras instituições internacionais, como por exemplo, com o National Cancer Institute e o National Center for Complementary and Integrative Health, ambos vinculados aos National Institutes of Health dos Estados Unidos.

Sobre o Projeto “Mapas de Evidências em PICS”

Este projeto propõe realizar uma revisão da evidência científica disponível para cada uma das 29 Práticas incluídas na Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) e produzir mapas das evidências a partir de análises infométricas – por tipo de revisão, por aplicação clínica, por desfechos, entre outros parâmetros.

O projeto tem como finalidade dar visibilidade à evidência científica disponível, identificar os vazios (gaps) de pesquisas (evidências) e redundâncias (múltiplos estudos de questões semelhantes), contribuir para o estabelecimento de prioridades de pesquisa na área e facilitar o uso da evidência disponível por parte dos gestores e dos profissionais que atuam na atenção à saúde.

Será aplicada a metodologia de mapa de evidências promovida pela International Initiative for Impact Evaluation (3ie – http://www.3ieimpact.org), uma iniciativa internacional líder em financiamento, produção, garantia de qualidade e síntese de evidências rigorosas para apoio às decisões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *