Boletim BIREME n° 54

Perfis de País: uma via para facilitar o que está disponível em gestão da informação e do conhecimento

Até recentemente, era um desafio encontrar informações sobre estratégias, políticas e mandatos em gestão do conhecimento, bases de dados e consórcios bibliográficos disponíveis e indicadores sobre a produtividade científica de um país ou território da Região das Américas.

Isso agora está mudando com o lançamento dos Perfis de Países em Gestão do Conhecimento e Acesso à Informação em Saúde das Américas, um panorama regional de documentos, estatísticas, redes e índices relacionados com informação em saúde na Região.

perfis_ptEstes perfis são produzidos pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), por meio do Departamento de Evidências e Inteligência para Ação em Saúde (EIH). A meta é que ajudem os Estados Membros da OPAS a ter acesso imediato a essas informações e fornecer uma visão integrada dos recursos e indicadores relacionados ao conhecimento e à informação em saúde. Alguns exemplos de informação disponíveis nos perfis de países:

  • Estratégias, políticas, programas e/ou projetos relacionados ao conhecimento e informação em saúde
  • Estatísticas e métricas da produção científica em bases de dados bibliográficas
  • Participação em redes de Informação e Conhecimento, como por exemplo a Biblioteca Virtual em Saúde e outras iniciativas empreendidas em cooperação técnica com a BIREME
  • Consórcios que dão acesso à literatura científica e técnica em saúde
  • Classificação do Índice de Desenvolvimento de Tecnologias de Informação e Comunicação.

Como um trabalho em constante progresso, os perfis serão atualizados periodicamente à medida em que mais informações e dados relevantes forem identificados. Em longo prazo, os perfis trarão evidências sobre os avanços na gestão do conhecimento, no acesso à informação e facilitarão na elaboração do panorama entre os países e territórios da Região, ao mesmo tempo em que revelarão as contínuas desigualdades em relação ao acesso à informação e à exclusão digital.

Sebastian García, Diretor do Departamento de EIH, destaca que “estes perfis de países são um passo importante para o fortalecimento do uso de evidências para políticas e processos de tomada de decisão em toda a Região, permitindo uma melhor compreensão dos fatores contextuais e desafios que exigem particular foco no avanço desta agenda estratégica nos países das Américas”.

Para Eliane Pereira dos Santos, Líder da Equipe de Gestão do Conhecimento/EIH e coordenadora dessa iniciativa, “no início foi um exercício desafiador, pois as informações e métricas nessa área são muito descentralizadas. No entanto, à medida que avançávamos, percebemos a importância deste projeto ainda mais, e como pode ser uma importante contribuição da OPAS para seus Estados Membros”.

A vinculação com o Plano Estratégico da OPAS 2020-2025

O objetivo desses perfis também é mostrar os avanços que países e territórios têm feito na área de acesso à informação, gestão e compartilhamento do conhecimento, redes e geração de conhecimento científico. Apoiarão a OPAS no monitoramento do Resultado 21, Indicador 21.c de seu Plano Estratégico: Número de países e territórios com mecanismos estabelecidos sobre gestão do conhecimento, multilinguismo, acesso aberto e publicação.

country-profile2O portal é hospedado pela BIREME, também vinculado a EIH/PAHO e para manter uma aliança de cooperação técnica entregue por meio da Biblioteca Virtual em Saúde e outras iniciativas.

Para Diego Gonzalez, Diretor da BIREME, “Este trabalho interprogramático de desenvolvimento dos perfis dos países terá um impacto muito positivo na cooperação técnica na Região porque, com as informações oferecidas, podemos desenvolver produtos e serviços de informação em saúde que atendam às necessidades dos países. A BIREME continuará hospedando este site em nossos servidores, sua manutenção e oferecendo indicadores da Rede BVS e LILACS que possam ser úteis para o desenvolvimento de infometria para tomada de decisão em saúde”.

Impressões da equipe da OPAS trabalhando com o projeto

Roxana Gonzalez, ponto focal na Representação da OPAS/OMS em Cuba: “Trabalhar os perfis dos países tem sido uma lição e uma atualização das políticas, programas e documentos oficiais dos países. Saber como a informação e o conhecimento são administrados em outros países é uma oportunidade de colaboração e para um melhor direcionamento da cooperação técnica”.

Flavio Hazrum, Representação da OPAS/OMS na Argentina: “A importância do portal reside na possibilidade de dar visibilidade à regulamentação sanitária e à produção científico-técnica dos países numa perspectiva nacional inserida num enquadramento regional e global. Coletar e disponibilizar programas nacionais, documentos de política, iniciativas de acesso aberto, plataformas e métricas, posiciona a gestão do conhecimento e capacita a área como mandato da OPAS, graças ao valor atribuído às evidências de saúde para a tomada de decisões”.

Daphne Ortiz, da equipe de Gestão do Conhecimento/EIH: “Desde 2018 quando se iniciava o projeto, tenho tido a oportunidade de atualizar informações de Gestão do Conhecimento em cada um dos perfis de países. Cada perfil fornece informações valiosas. Com o lançamento deste Portal, espero abrir a oportunidade para a Região do Caribe explorar novas maneiras de se engajar nas diferentes revistas e plataformas que já gerenciam o conteúdo de outras regiões”.

Daysi Nunez e Lourdes Ramirez, Representação da OPAS/OMS em Honduras: “O Perfil de País de Honduras será um recurso informativo que complementará os esforços do país para tornar visível a produção científica, as fontes de informação nacionais e o trabalho colaborativo que vem sendo realizado ao longo dos anos, com a cooperação técnica da OPAS e mais especificamente da BIREME.”

Shanice Christie, da equipe de Gestão do Conhecimento/EIH: “Comecei a trabalhar neste projeto desde 2020 e tive a oportunidade de ver o crescimento da capacidade dos países de gestão do conhecimento a partir da atualização das métricas de 2019 e 2020. Por meio deste exercício, observei os diferentes níveis de informação e acesso à informação por cada país e, como tal, esta plataforma pode ajudar a criar sinergias e parcerias com países da Região para se envolver ainda mais com o acesso a periódicos e bancos de dados.”

Convidamos todos vocês a navegar e nos fornecer seus comentários e sugestões para aprimorar esta iniciativa (libraryhq@paho.org).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *